quarta-feira, 9 de julho de 2008

17 de fevereiro de 2008

Sabe aqueles lápis verdes ligeiramente moles, que quando era criança ficava dobrando pra me gabar e dizer “oi, eu tenho um lápis mole”? Pois é, agora fico lembrando do tanto que ele era ruim e qual era exatamente a utilidade de ter um lápis flexível. Ouvi dizer que é para que o grafite não se quebrasse tão facilmente. Mas de que adianta, se o lápis é horrendamente terrível pra escrever?

As pessoas morreram.

Elas podem estar andando, comendo e dormindo com outras pessoas.

Mas não existe mais nada dentro delas que declare um estado de vida estável.

Elas morreram por dentro.





Amanda Miranda

5 comentários:

Joao JIM disse...

eu não morro
nem por dentro nem por fora


mas já usei lápis flexível como alargador
o.O

Claudia Bittencourt disse...

todo lápis é horrível pra escrever.\a única coisa legal mesmo era se gabar que o lápis podia ser contorcido e não quebrar. bom, pelo menos teoricamente, pq eu já quebrei um xD

=* (L)

Lamps disse...

Quando se é vivo, pode-se morrer.
Melhor do que nunca verdadeiramente viver.

É. Eu aqui.

Ether disse...

Eu comia esses lapis, engraçado que quando vc dobrava ele o grafite quebrava por dentro, então não serve mesmo pra nada!

Existem realmente muitas pessoas q estão vivas externamente e mortas por dentro mas muitas vezes nem sabem, eu as vezes me sinto meio morto, mas quando se tem conciencia disso é mais facil pra ressuscitar! XD

Ether disse...

ahh sou eu o Eder!!! =*